Esferas de pedra pelo mundo

Espelhadas pelo mundo todo ,com tamanhos que vão desde  centímetros ate metros de diâmetro ,e  podendo pesar  mais de  20 toneladas , esferas  de pedra geram um fascínio nas pessoas a muito tempo, elas que em sua maioria são provenientes de formação natural  sempre levantaram suspeitas de quem as teria  ''fabricado'' , mas ao que se sabe a minoria  foram feitas por mãos humanas. Sendo as mais famosas aquelas encontradas na Costa Rica.
 
Costa Rica

Descobertas em 1930 ,quando a United Fruit Company estava limpando a selva a fim de começar uma plantação de bananas. .Acredita-se que elas   foram criadas por volta do ano 600, sendo a maioria datada depois do ano 1000.Algumas com mais de 2 metros de diâmetro,  podem pesar cerca de 15 toneladas. O total de esferas é de mais de 300. Os trabalhadores que as encontraram tiravam as esferas do meio do caminho com escavadeiras, e ate   cavavam buracos nas esferas e explodiram  com dinamite em busca de ouro ,que supostamente havia dentro delas. Onde muitas esferas foram destruídas antes das autoridades intervirem. Algumas das  dinamitadas foram restauradas e hoje em dia estão no Museu Nacional da Costa Rica



 ARGENTINA

Encontradas no Vale de la Luna,mais precisamente numa regiao dentro dele chamado;“La cancha de bochas”. Este lugar apresenta distintas esferas perfeitamente polidas ,feitas do mesmo material do solo, não  há uma explicação confirmada de suas origens,mas acredita-se que se formaram por um fenômeno conhecido como atração molecular.



MÉXICO

De formação geológica também , localizados no cerro Piedras Bola, uma parte da Serra de Ameca, é uma importante área de atividade vulcânica , e que fica à cerca de duas horas a pé da cidade mais próxima, Ahualulco de Mercado.


NOVA ZELÂNDIA 

As naturalmente formadas, pedras esféricos em Moeraki, se tornaram uma atração turística.


Um comentário:

  1. INFLUÊNCIA DO AMBIENTE NA A.M.L. (ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA) SOBRE A SELECÇÃO DA PEDRA CALCÁRIA DE LIOZ
    Descrição do livro:
    O presente estudo, resulta da adaptação de uma tese de mestrado, apresentada junto da Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa, no âmbito do Curso de Mestrado em Tecnologia da Arquitectura e Qualidade Ambiental, realizado entre 1993 a 1994. Visa essencialmente determinar os motivos históricos, compreendidos no período da alimentação da economia Portuguesa, pelo ouro derivado da colónia do Brasil, e viabilidade funcional no uso, que levaram à preferência na adopção da pedra calcária de lioz, para fazer face às características do ambiente na A.M.L. (Área Metropolitana de Lisboa), aponta similarmente precauções a ter na sua utilização e aplicação construtiva. Tendo como base a selecção de quatro localidades para amostras, expostas ao mar, interior urbano e rural, identificando as patologias e razões do seu desenvolvimento, fornecendo também indicações para as contrariar. Finalizando com o estabelecimento de um nível de ponderação de importância a dar, nas suas propriedades físicas e químicas, no sentido de proporcionar um método de selecção deste tipo de pedra, na substituição em edifícios existentes, tirando proveito desses parâmetros para servirem ao mesmo tempo, na selecção da pedra calcária de lioz, na construção de novos edifícios.



    Edifícios analisados: Palácio Ratton em Lisboa, Torreão Oriental da Praça do Comércio em Lisboa, Igreja de Nossa Senhora da Consolação em Arrentela e Igreja da Nossa Senhora do Monte Sião em Amora.

    Adquirir o livro nos websites:

    https://www.createspace.com/4877272
    http://www.amazon.com/dp/150037234X/ref=rdr_ext_book
    http://www.amazon.de/Influ%C3%AAncia-ambiente-A-M-L-selec%C3%A7%C3%A3o-calc%C3%A1ria/dp/150037234X/ref=pd_rhf_se_p_img_1

    Referencias sobre o autor:
    https://plus.google.com/u/0/100888385940893225494/posts
    http://pt.linkedin.com/pub/laurindo-amorim/73/551/9b6
    http://arqlaurindo.no.sapo.pt/

    ResponderExcluir