Convergência Evolutiva

  A evolução convergente se da quando seres vivos desenvolvem características que tem a mesma função ou aparência semelhantes,mesmo que esse seres  não tenham nenhum  parentesco evolutivo direto.Ou seja, ''quando uma característica evolui independentemente em duas espécies não sendo encontrado no ancestral comum delas''.
Tilacinos em Washington, 1902.
 Essas características convergentes são chamadas de análogas.Um exemplo de convergência é entre os golfinhos e peixes,enquanto o golfinho é um mamífero com ancestral comum terrestre já os peixes  são naturalmente frutos de uma evolução com ancestrais aquáticos ,mas apesar dessa diferença de linha evolutiva tanto o golfinho quanto os peixes desenvolveram nadadeiras e estrutura corporal parecida.

Um caso de convergência evolutiva famoso é o do Talacino ou Lobo da Tasmânia,extinto na década de 1930.Com características  visualmente de um canídeo, ele  não faz parte da família dos cães e lobos, é um parente na verdade dos cangurus ,sendo da infraclasse dos marsupiais.

Também pode ser citado o caso das asas das aves, morcegos  e  insetos . Apesar de não terem nenhuma proximidade evolutiva todos desenvolveram asas,a partir de estruturas  diferentes. 

Drosera

Nas plantas não é diferente, temos o caso dos espílhos  que servem de proteção, encontrados em arbustos, como roseiras ,a árvores cítricas,como a laranjeira, se desenvolveram de partes diferentes.

Nephentes



As Planta insetivoras ou carnívoras tambem apresentam convergência,muitas espécies desenvolveram armadilhas para capturar insetos para repor a falta de nutrientes escassos no solo,nesse caso em si a semelhança não é física mas sim funcional...
Dioneia

0 comentários:

Postar um comentário